04 agosto 2013

Intempestiva Solidão - Poemas de Marcelo H. Zacarelli


Intempestiva Solidão

Poderei eu sobreviver à tortura da ternura
Flor desarraigada dos escombros da solidão;
Poderá suportar os calcários de meu ovário
Terrível apetite da estúpida aptidão...

Poderei eu contornar as cinzas da tua ausência
Respirar o veneno que me causa estupor
Quando o vento me traz em completa abstinência
Em temíveis ferrolhos saciando seu furor;

Uma vez devastada pode tornar a formosura
Caule despedaçado por um inverno em chamas
Descalços seus atos em absoluta ruptura
Alma nirvana persuasiva e insana...

Se a morte lhe inspira e a ti predomina
A saudade lhe espera por prevaricação
E a primavera por sorte que lhe ressuscita
Trazendo a de volta a intempestiva solidão.


Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Setembro de 2012 no dia 20