14 setembro 2013

Auspiciosa Flor - Poemas de Marcelo H. Zacarelli

Fernanda V. Zacarelli

Auspiciosa Flor

Ai de ti! cravo...
Do vento que sopra os teu calcanhares;
Turvo meu coração a ti,
para os açoites da noite.

Reparas a tua nudez,
e abrasa outrem de ti;
Quem sentiu o teu espinho?
Jugo certeiro da concupiscência.

A gula da tua cólera,
franzina fêmea;
Na tua teia caí quase morto,
por muito pouco me atrevi.

Absolutos prazeres em ti conheci,
cravo imaculado e raro;
Tuas belezas estão escondidas nas dores,
dos teus amantes que sofrem por ti.

Ai de ti! auspiciosa Flor...
Que desarraigastes das tuas pragas;
Não te conhecerão na tua morte,
do sangue que vaza do caule das tuas mágoas.

Marcelo Henrique Zacarelli
São Paulo, Agosto de 2013 no dia 30

Fernanda Villarim