23 novembro 2013

A Poeira do Vento - Poema de Christine Aldo


A Poeira do Vento

Eu posso ver ao longo da estrada
A poeira que carrega um pensamento
O sol que se perde ao fim da estrada
Desce as escadas do infinito

Mesmo que eu me perca para sempre
Haverá uma esperança de encontrá-lo
As folhas secas insistem a me acompanhar
Anunciando a tempestade

A verdade à de encorajar esta mulher
Apesar da dor que ela sente...

Toda forma de amar
Toda forma de sentir
Toda forma de buscar
Eu tentei, eu tentei...

Tudo que eu podia fazer
Tudo que eu podia dar
Eu esgotei minhas forças;

Se acaso você me encontrar por aí
Saiba que não estarei sozinha
Apesar de o sol escalar a escuridão
Ainda terei a solidão...

Ainda lembro-me do tempo
Em que éramos os dois

Você pode escolher entre 
Amar e viver sozinho
Eu já fiz a minha escolha
Assim como o sol escolheu a escuridão

As escadas estarão no mesmo lugar
E o meu coração estará aqui
Até que a poeira do vento 
O carregue para longe

Toda forma de amar
Toda forma de sentir
Toda forma de buscar
Eu tentei, eu tentei...

Christine Aldo
Village, Fevereiro de 2013 no dia 03

As folhas secas insistem a me acompanhar
Anunciando a tempestade...