10 maio 2014

Lábios Carnudos - Poema de Marcelo H. Zacarelli

Anne Hathaway

Lábios Carnudos

Como posso descrevê-la
Em um papiro branco; mórbido, persuasivo
Teus lábios carnudos
Tão próximo dos absurdos

Veneras em teu olhar verde mar
Tinta guache borrada no infinito
Verde água das matas
Delineado torto contornado pelo impossível

Tua boca engenharia do pecado
Faz-me falar em reverência
Palavras vagas, espontânea;
Faz me ajoelhar no anonimato
De sonhar um dia tocá-la

Ora por vezes à noite me assombra
Com teus cabelos negros me açoita
Sou teu escravo, de prazeres e tormentas...

Como posso descrevê-la
Deusa detentora da beleza
Te imagino toda minha; todo dia, utopia...
Ora por vezes me imagino teu
E me consomes
Até que logo não mais existo.


“Homenagem á Fernanda Villarim Zacarelli”

Marcelo Henrique Zacarelli
São Paulo, Agosto de 2010 no dia 19

Tua boca engenharia do pecado
Faz-me falar em reverência...