13 agosto 2015

Cavalos ao Vento - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Cavalos ao Vento

Quanto tempo faz...
Eu não te vejo por aí
Quanta falta você faz em meu mundo
Ele não é mais o mesmo sem você
No coração de uma dama
A Saudade doeu...
Por que você foi embora
E nem se quer estendeu-me suas mãos

Cavalos ao vento
Correm apressados em meus pensamentos
Cavalos ao vento
Sem lugar para descansar

Eu atravesso as cocheiras
Na esperança de te encontrar
Eu escalo montanhas
Mais você não está lá
Eu rasgo o meu coração
esmago-o até vê-lo sangrar
E tudo o que sinto é medo
Medo de que você não esteja lá

Cavalos ao vento
Correm apressados em meus pensamentos
Cavalos ao vento
Sem lugar para descansar

A última vez que sonhei com você
Estava sorrindo para mim
Tão livre como um cavalo ao vento
Você desapareceu pelo ar
Você nasceu para ser livre
Nenhum amor pode te prender
Vá em paz, pois eu compreendo
Que a minha dor posso suportar

Cavalos ao vento
Correm apressados em meus pensamentos
Cavalos ao vento
Sem lugar para descansar

"Homenagem ao meu amigo, saudoso Cícero Alves Feitosa, descanse em paz".
Assista o vídeo que inspirou este poema (Clique no link abaixo)

Marcelo Henrique Zacarelli
Village, 13 de Agosto de 2015

Você nasceu para ser livre
Nenhum amor pode te prender...