15 maio 2016

A Culpa do Silêncio - Poemas de Marcelo H. Zacarelli


A Culpa do Silêncio

Balbucio ao vento nômades pensamentos
Que pairam na gorja em completo esquecimento
Sucumbem às verbetes, se perdem aos ventos...
Meu amor anuncia certo arrependimento;

Palavras são vãs quando o que sente é saudade
Calo-me a dor que, portanto queres vaidade...
Por certo o sofrimento não requer ao tempo a idade
Sou moço novo a beira da veracidade;

Um silente bocejar por si só não me salva
Entrelaçadas pelos ares em falsa ressalva
Uma a uma como plumas ao meu colo repousam;

Murmúrios inquietos surgem como arauto
Suaves ordinários me tomam por assalto
Inumados em teus seios em perdidos acalentos.

“Soneto”


Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Setembro de 2012 no dia 20

Palavras são vãs quando o que sente é saudade
Calo-me a dor que, portanto queres vaidade...