03 agosto 2013

Uma Rosa sobre o Vento - Poemas de Marcelo H. Zacarelli


Uma Rosa Sobre o Vento

Eu bem que parei
Em frente há um epitáfio
Trouxe rosas comigo
Pétalas frágeis escarlates
Levantei-as ao pó do tempo
Em mim não há arrependimentos...

Levantei ao outono as folhas secas
Eu as fiz dançar como bailarinas
E pairar a fria campa cinza e vazia
Tão minha e absoluta
Tão nobre como os lírios
Na penumbra dos martírios.

Derrepente uma voz aflita
Emudecia-me as narinas
E mesmo não querendo as ouvia
Sozinho e só minha
Como pude acabar assim
Estava escrito em uma lápide o meu fim.

Você assim tão louca e sábia
Como pôde me passar despercebida
Eu a tinha em minhas mãos
E até sangrava
Das entranhas um pavor absorvia
Castanho severo que brilhava
Em tua retina.

Eu nunca soube
Direito o que é o amor
A nudez da tua alma é que me valia
Há um sopro de consciência
Na minha dor
Que me mata toda tarde de um dia
Rosa franzina de fragrância suicida.

Eu bem que parei
Em frente há um Epitáfio
Estava escrito em uma lápide o meu fim
Sei que não pode haver arrependimentos
Como pude acabar assim.

Marcelo Henrique Zacarelli 
Village, Fevereiro de 2012 no dia 06

O Poeta Marcelo H. Zacarelli