14 setembro 2013

Morena - Poemas de Marcelo H. Zacarelli

Fernanda Villarim e Morena

Morena

O Outono já agonizava
em um desses maio qualquer.
Porém o coração palpitava,
desejo no coração de mulher.

À tarde já se dava por vencida,
e o sol avermelhava no cio;
O peito carecia de guarida,
e o colo reclamava de um vazio.

Abre a porta, o pulso desconfiado,
será o vento que assoviava ?
Depressa o impulso falou mais alto,
abraçando a felicidade que miava.

E agora o que serão das minhas tardes,
tapete, sofá, enfeites e cortinas...
A sorte lhe sorriu um pouco tarde,
nada apaga um sorriso; Diabruras da menina.

Sei que outros maios virão,
e a vida não será mais a mesma;
Como posso te tirar do coração,
que já não bate; Mia por você Morena.

Marcelo Henrique Zacarelli
São Paulo, Setembro de 2013 no dia 02

Morena