23 novembro 2013

Desenganos - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Desenganos

Mergulha meus lábios
em teus olhos, sátiro, bárbaro, 
com perdão da palavra vulgar...
E te afoga uma lágrima sóbria
embriagada de destrezas

Na melhor das intenções
te aparas em um sofrimento
tosco como a saudade
e abrupto quanto há um sentimento

Eis que rola um suave gemer
a boca que reclama o coração...
Partiu de alguém que não sofreu
ao carregar no colo as tuas dores...

Más eis que um desengano apareceu
e te salvou de um golpe certeiro;
A desilusão de amar alguém
consiste a te amar primeiro,
Não se doa um coração
a um homem ou uma mulher
a menos que estejas dentro dele.

Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Dezembro de 2012 no dia 31

Partiu de alguém que não sofreu
ao carregar no colo as tuas dores...