16 novembro 2013

Falso Convício - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Falso Convício

Quem nunca roubou uma rosa
Um beijo quando ainda menino
Quem nunca se furou num espinho
Roubar um beijo teu é tão difícil;

Quem nunca correu atrás da bola
Um sonho quando ainda menino
Quem nunca se perdeu no caminho
Fazer um gol ou amar é um vício;

Quem nunca contou uma prosa
Em versos complexo e obsessivo
Quem nunca chorou num cantinho
A dor do amor é um artifício;

Quem nunca morreu numa corda
Se enforcou num amor iludido
Quem nunca viveu por um segundo
Um amor de verdade ou de falso convício.

Marcelo Henrique Zacarelli
Itaquaquecetuba, Setembro de 2010 no dia 11

Quem nunca chorou num cantinho
A dor do amor é um artifício...