03 março 2014

Morte Vizinha - Carlos Lacerda


Morte Vizinha

Esta noite no avião
A nove mil metros sobre Samarkand
A morte me avisa que já está a caminho.
Ouvi falar de mortes ilustres
E de anônimas vociferações
Já não me lembro quantas vezes.
Em voo pensei em evitá-la discretamente.
Porém, digo, não há como deixar de reconhecê-la.
Ela me habita desde menino
E me possui
E me consome à sua onipresença
Como o branco arroz ou o milho amarelo
Há tanto tempo não penso na sua vinda sub-reptícia
Porém ela se faz presente.
Consciente de suas inefáveis prerrogativas.
Então, que adiantam as minhas invectivas
Se já veio? Se já está entre nós?
Na cadeira vazia,
silenciosa e atenta, 
Quase submissa - quem diria ?
Magnânima senhora de meus dias e vontades,
Entregue a todas as minhas veleidades derradeiras
Com a paciência das avós sobre o crochê de antigamente
E dos netos sobre o sexo empinado, apenas descoberto.

Dolorida, repetida,
Até tu,
Até tu,
Até tu morrestes
Morte antiga.

Preparo-me para receber a tua sucessora,
A morte sem alarde,
Trombeta apagada e obscura,
Morte cordial, constante desejada,
A meu lado sentada
Paciente e curiosa,
Nada estapafúrdia, nada escandalosa,
Unicamente composta de uma leve distração,
Espécie de desvio de luz, 
No pavio da velha vela que se apaga
E naufraga na barrela das águas vicinais.

Até já minha morte preferida.
Espere por mim que já vou indo,
Levemente debruçado sobre a tua paisagem,
Tuas árvores silenciosas,
Teu céu deslumbrado, 
Tua forte mansuetude
Silenciosa e dura.

Poema de: Carlos Lacerda

Publicado em Fatos e Fatos de 03/07/77. 
"Escrito no voo de 02/07/75 entre Roma e Teerã" 
(Publicada no Jornal do Brasil em 20/05/78).

Carlos Lacerda

Carlos Frederico Werneck de Lacerda (Rio de Janeiro, 30 de abril de 1914 – Rio de Janeiro, 21 de maio de 1977) foi um jornalista e político brasileiro. Foi membro da União Democrática Nacional (UDN), vereador (1945), deputado federal (1947–55) e governador do estado da Guanabara (1960–65). Fundador em 1949 e proprietário do jornal Tribuna da Imprensa e criador, em 1965, da editora Nova Fronteira.
Carlos Lacerda já foi retratado como personagem no cinema e na televisão, interpretado por Marcos Palmeira no filme "Bela Noite para Voar" (2005), José de Abreu na minissérie "JK" (2006) e por Marcello Airoldi, no filme "Flores Raras" (2013).