22 fevereiro 2016

Reminiscências... - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Reminiscências...

Estou a claudicar com meus pensamentos
Outrora busco encontrar na memória
Meu corpo flagelado, oferecido ao holocausto dos horrores
Sinto o sabor de uma tépida lágrima
Nem doce, nem salgada; amarga como o tempo...

Busco sofrer por um momento de fraqueza
O interlúdio enjoado de minhalma
Nem o zéfiro deste amanhecer pode tocar a ferida escondida
Estou cansado e não há quem sofra por mim
Estou sobrecarregado, ocupado por vezes com a morte

Quem é você que aparece tão sutil como a névoa?
Cheia de presença de espírito, de temores explícitos
Fantasma de um passado enterrado, morto e vivo...
Quem és? Pergunto num tom estúpido de um eco martirizante
Volta pra mim passado, completas o meu desespero absoluto

Em um momento de lucidez às vezes chego a pensar que sou eu
Ponho a olhar-me com desconfiança
Apalpo minha carne e sinto o cheiro da minha pele
Estes pecados que ficaram para trás, exalaram por descuidos
Foram as reminiscências; todas elas a claudicar no meu pensamento.

Marcelo Henrique Zacarelli
Village, 22 de fevereiro de 2016


Estou cansado e não há quem sofra por mim
Estou sobrecarregado, ocupado por vezes com a morte...