24 agosto 2013

Deploração - Poemas de Marcelo H. Zacarelli

Foto: de Sebastião Salgado

Deploração

Tenho o corpo cansado,
a alma aflita...
Um par de calçados gasto,
nos pés árduas feridas.

Sou nômade da saudade,
peregrino solitário, um narciso boêmio,
que se alimenta do imaginário.
Tenho fases que vão da lucidez à esquizofrenia,
vontade de morrer ou lutar pela vida.

Quem sou eu que clamo pela tempestade,
e come o sol no deserto ao meio-dia;
Um andarilho forte e destemido,
um homem fraco a beira do suicídio.

Um dia em uma dessas viagens,
minha alma certamente não mais voltará;
A dor certamente será apenas um consolo,
e este pobre homem virá a descansar.


Marcelo Henrique Zacarelli
Village, Março de 2012 no dia 18

Foto: de Sebastião Salgado