14 setembro 2013

O Pecado de Amélia - Poemas de Marcelo H. Zacarelli


O Pecado de Amélia

Nem bem descansava,
os olhos da remela que acordava,
Amélia quimera.

Prostrada sobre a mesa,
manipulava o talher,
a inquieta mulher.

O prato ! frango ensopado...
senhores convidados,
em que haveis de provar.

Esposa de marido rico,
Amélia ? Quem dera;
a fome costumava a visitar.

Não despojai da tua cruz,
simplória Maria,
Amélia todavia...

Nem perderás teu galardão;
Pelos pratos no fogão,
teus pecados há de vir.

Sobre peitos e coxas,
desferistes vários golpes,
ao fio da navalha, tua boca...

E muitos se foram,
o raso do prato, testemunhados,
os ossos do pobre diabo empilhado.

Corram depressa,
a socorrer por Maria;
Amélia esfomeada,
faleceu por glutonaria.

Marcelo Henrique Zacarelli
São Paulo, Agosto de 2013 no dia 28