22 novembro 2013

Identidade Própria - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Identidade Própria

Devoradores sois apenas mortais...
Sois restos de uma ideologia culta
Terra improdutiva de nascentes irreais
Sois a fome dos que fartam de banquetes
A elite podre e a gula da intolerável compreensão
Digeridos em um só golpe da terrível congestão.

Devoradores de consciência sois mortais
Na embriagueis da vossa concupiscência
Entrais por portas sem autorização
A cada gole uma visão, uma mente!
Uma porta arrombada, desmoralização.

Por que dormes a tua aparência no espelho
E descansa tua imagem no reflexo da imaginação
Por que deixeis transformar a tua retina em cegueira
E o doce cantar fúnebre sepultar tua visão
O mais sábio dos sábios é mortal
E carrega sangue vermelho da tua alma.

Teu pensamento condenado em liberdade condicional
Eu pude ler a tua mente que me veio como carta de covardia
Em um terrível ponto de interrogação
Teu corpo é um manto de uma pira interminável
Mas a tua consciência fora arruinada
Por cães de mandíbulas políticas.

Mas a ti fora reservado um tribunal de justiça
Sereis julgado severamente por tua estupidez
Fostes dominados pelos devoradores de consciência
Não eram mais sábios que ti
Aprisionaram-te dentro de um pequeno mundo, tua mente.

Não podeis comprar o mais alto prédio
Não podeis sentar na melhor poltrona
Não podeis fazer as melhores leis
Não podeis julgar o menor dos atos
Não lhe foi confiado à promotoria
Nem advocacia para defender tua causa.

Porém a mais terrível das prisões está em tua mente
Que fenderam sem esforço
As trancas do teu raciocínio corroeram
E te tornastes mortal sem identidade própria
No mundo dos sábios e devoradores
Sois apenas um mortal.

Marcelo Henrique Zacarelli
Itaquaquecetuba, Janeiro de 2003 no dia 06 

Sois a fome dos que fartam de banquetes
A elite podre e a gula da intolerável compreensão...