05 dezembro 2013

Lenhador de Sonhos - Marcos Tavares


Lenhador de Sonhos

Não venha comigo, não é seguro
Não basto a mim, não há contentamento.
Sou um lenhador de sonhos,
uma seta lançada no escuro
que não conhece itinerários.

Tenho apenas poesias,
palavras tristes que aprendi rimar,
amores que partiram sem me avisar,
Ilusões que eu adiei sofrer
e batem agora insistentes à porta pra doer.

Esse amor te fará sofrer, te ferirei...
prefiro andar sem ter aonde chegar,
estar ao lado de quem puder me ver partir,
sem levar lágrimas por mim

O que sinto é vendaval, um descarrilho.
Prefiro palmilhar meus pés
com quem puder entender
que quando amanhecer serei levado pelas marés
ou guiado pelos passarinhos.

Poema de: Marcos Tavares

Marcos Tavares

Marcos Tavares de Souza é um escritor que se desafia a cada silaba e em cada texto. Um buscador da verdade que se esconde por trás dos sentidos existenciais. Aplaudido como poeta por muitos pela sua sensibilidade e alma questionadora em suas rimas. Os versos são seus escudos e ao mesmo tempo sua espada. Tem nas palavras uma identidade ritmada e romântica, mas muitas vezes, viril e profana. Paulistano de alma inquieta no convívio com o mundo que habita. Antes de tudo, um leitor. Um raro e compenetrado desbravador da escrita, que busca encontrar referência do que escreve nos anseios humanos e no questionar em estar no mundo.