12 janeiro 2014

Para Sempre Dormir - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Para Sempre Dormir

Tento fugir, mas não consigo
Da imaginação que criei
Busco parar, mas é inútil
Impossível teu rosto esquecer

Tento lutar, não resisto
A imagem que vem de você
Dos meus olhos não sai um segundo
Todo rosto me lembra você

Talvez se o sol se zangasse
E matasse meu corpo de frio
E no escuro você me encontrasse
Preencheria o meu peito vazio

Imagino teu corpo em meu corpo
Impossível, um sonho pra mim
Não quero acordar deste sono
Me deixe para sempre dormir.

Marcelo Henrique Zacarelli
Itaquaquecetuba, 05 de Junho de 2000

Talvez se o sol se zangasse
E matasse meu corpo de frio...