08 fevereiro 2014

Um Novo Amor - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Um Novo Amor

Certo dia você acordou
E olhou para o mar
Surpreendeu-se com a sua dimensão;
Não era maior que a dor,
Dor todavia que sentias

Não poderia enxugar do rosto
Toda lágrima que caíra
Chuva fina todas elas
Levemente escorriam;
Não bastasse; A saudade da tarde era o sol
Ao se pôr nos lábios que ardiam

Para que chorar
Por alguém que não te quer
A solidão que torna os olhos daltônicos
O batom vermelho cor de carne suicida;
Àquele que te trocou
Por amores não correspondidos
Te abraçou como a primavera
E despediu-se como as folhas de outono

Não tenhas medo de abrir
Uma nova porta,
Todo horizonte
Conspira ao teu favor;
Furte as cores de um arco íris
Dê um tom a este fim de tarde
Aproveite agora
Que as poças estão secando

O céu vestiu-se de um laranja assanhado
E agora descansa no seio do infinito;
Encontre um novo amor para te abraçar
E todas as tuas mágoas, ser-lhe-ão sorrisos.

Marcelo Henrique Zacarelli
Outubro de 2013, no dia 25
Bairro da Vila Madalena, Pinheiros (São Paulo)

Não bastasse; A saudade da tarde era o sol
Ao se pôr nos lábios que ardiam...