17 agosto 2014

Eu Devia Saber - Poema de Marcelo H. Zacarelli


Eu Devia Saber

Eu devia saber que terminaria assim
A barba grisalha, esdruxula, crescida
Eu é que deveria me acostumar comigo
Assim tão cheio de mim, de alma vazia.

Preencho o quarto com tamanha solidão
Trancafiando enfim todo o pensamento
Tudo que restou de mim se resume em pôr do sol
Que toda tarde cai do firmamento.

Desço as  ruas das lamentações
As tristes ruas de paralelepípedos
Dores e mais dores espalhadas pelo chão
Bocas a procura de sorrisos.

Eis que num outono gelado, geme;
Um coração fragmentado, devastado
Percorre por calçadas e bueiros
E desaparecem no uivar do vento.

Porém, mais uma noite se aproxima
Onde será que foi que me meti ?
Preciso tomar um banho, arrumar a cama
Sem eu por perto não consigo dormir.

Amanhã de manhã, eu irei colocar a mesa
Vou tomar um café, refletir sobre o fim
Viver sem você á muito me deixou uma certeza
Eu devia saber que terminaria assim.

Marcelo Henrique Zacarelli
São Paulo, 15 de Agosto de 2014

Desço as  ruas das lamentações
As tristes ruas de paralelepípedos...