24 setembro 2016

Anna Karenina - Meus Livros

Romance Publicado em 1877

Anna Karênina
Leon Tolstói

Anna Karenina (Анна Каренина), ou Ana Karênina, em algumas traduções, ou Anna Kariênina, conforme a edição mais recente em língua portuguesa (publicada no Brasil pela editora Cosac & Naify, em 2010), é um romance do escritor russo Liev Tolstói. A história começou a ser publicada por meio da revista Ruskii Véstnik (O mensageiro russo), entre janeiro de 1875 e abril de 1877, mas seu final não chegou a ser publicado nela por motivos de desacordo entre Tolstói e e o seu editor, Mijaíl Katkov, sobre o final do romance. Portanto, a primeira edição completa do texto apareceu em forma de livro ainda em 1877.

É uma das obras mais destacadas do realismo literário. Para Tolstói, foi o seu primeiro verdadeiro romance, e considera sua obra "Guerra e Paz" como mais que um romance. O escritor Fiódor Dostoiévski considera o Anna Karenina como "impecável como obra de arte", opinião compartilhada também por Vladimir Nabokov que a considera como "a impecável mágica do estilo de Tolstói" e por William Faulkner que considera o romance como "o melhor já escrito". O romance continua entre as mais populares da história, como demonstrado por uma enquete com 125 autores contemporâneos feita por J. Peder Zane, em 2007, e publicada na revista Time, que declarou que Anna Karenina é o maior romance já escrito."


Sinopse:

A trama gira em torno do caso extra-conjugal da personagem que dá título à obra, uma aristocrata da Rússia Czarista que, a despeito de parecer ter tudo (beleza, riqueza, popularidade e um filho amado), sente-se vazia até encontrar o impetuoso oficial Conde Vronsky, com quem inicia um caso amoroso. A história começa com Anna chegando à casa do seu irmão, Stepan Arkadyevich Oblonsky, que está em uma situação difícil com sua esposa, Dolly, e Anna trata de intervir na situação, que de alguma forma é um reflexo da sua própria situação.

O oficial Vronsky está disposto a se casar com Anna Karenina assim que ela se divorcie do seu esposo Alexey Karenin, um oficial do governo, mas ela é vulnerável às pressões da sociedade russa, a suas próprias inseguranças e à indecisão de Karenin. Ainda que ela e Vronsky fujam para a Itália, eles encontram dificuldade em fazer amigos. De volta à Rússia, ela se torna cada vez mais ansiosa e isolada, enquanto Vronsky continua mantendo uma vida social. Apesar das reafirmações de Vronsky, ela se torna cada vez mais possessiva e paranoica sobre a infidelidade de seu amante, chegando a ficar fora de controle.

Paralelamente acompanhamos a história de Konstantin Levin, um proprietário de terra que possui o desejo de se casar com Kitty, irmã de Dolly, chegando a propor casamento com ela duas vezes até ela aceitar. O romance detalha as dificuldades de Levin em lidar com seu estado, seu eventual casamento e suas questões pessoais até o nascimento do seu filho.

Anna Karenina por H.H. Manizer

O romance está dividido em oito partes. Seu epígrafo é "Minha é a vingança; eu recompensarei", texto contido em Romanos 12:19, que é citado também em Deuteronômio 32:25. O romance começa com uma das suas frases mais citadas e um dos começos mais conhecidos da literatura universal:

"Todas as famílias felizes são iguais. As infelizes o são cada uma à sua maneira"

"Anna Karenina" é interpretado pela atriz britânica
Keira Knightley e dirigido por Joe Wright

"Anna Karenina" retrata comumente os temas de hipocrisia, inveja, fé, fidelidade, família, casamento, sociedade, progresso, desejo carnal, paixão, e o contraste da vida no campo e a vida na cidade. A tradutora Rosemary Edmonds diz que Tolstói não moraliza explicitamente no texto, mas o deixa fluir naturalmente desde "o panorama russo de viver" e também afirma que a mensagem chave do livro é "ninguém pode construir sua felicidade sobre a dor de outro".

A atriz Mariya Guérmanova durante o filme
Anna Karênina de 1914

Levin é considerado um retrato semi-biográfico da crença e dos eventos da vida de Tolstói. O primeiro nome do escritor é Lev, e Levin é um devivado de Lev. De acordo com W. Gareth Jones, Levin propôs a Kitty em casamento da mesma maneira que o fez o escritor a Sofia Tolstói, e que do mesmo jeito que o personagem pede a sua noiva pra ler seu diário, o fez Tolstói com a sua noiva.  "A estacão de trem de Obiralovka" que aparece na penúltima parte do livro fica na hoje conhecida cidade de Jeleznodorojny, Oblast de Moscou, Rússia.

Poster do Filme de 2012...

Anna Karenina é um filme britânico de 2012, dirigido por Joe Wright e adaptado por Tom Stoppard do romance homônimo de Leo Tolstoy, publicado em 1877. Keira Knightley atua no papel da protagonista título, o que marca a sua terceira colaboração com o diretor John Wright. Jude Law e Aaron Johnson atuam nos papéis de Alexei Karenin e Vronsky, respectivamente. O filme foi indicado aos prêmios Óscar de melhor trilha sonora, melhor design de produção, melhor fotografia e melhor figurino.

O Escritor Russo: Liev Tolstói

Lev Nikolayevich Tolstoi, mais conhecido em português como Leon, Leo ou Liev Tolstoi (Yasnaya Polyana, 9 de setembro de 1828 — Astapovo, 20 de novembro de 1910) foi um escritor russo. Além de sua fama como escritor, Tolstoi ficou famoso por tornar-se, na velhice, um pacifista, cujos textos e ideias contrastavam com as igrejas e governos, pregando uma vida simples e em proximidade à natureza.

Junto a Dostoiévski, Turgueniev, Gorki e Tchecov, Tolstoi foi um dos grandes mestres da literatura russa do século XIX. Suas obras mais famosas são "Guerra e Paz", sobre as campanhas de Napoleão na Rússia, e "Anna Karenina", onde denuncia o ambiente hipócrita da época e realiza um dos retratos femininos mais profundos e sugestivos da Literatura. Morreu aos 82 anos, de pneumonia, durante uma fuga de sua casa, buscando viver uma vida simples.